Poesia: Radioactivity


Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

De minha parte, eu não podia estar mais animada, pq hoje finalmente vou compartilhar com vcs o primeiro vídeo-poesia do canal! YAY!

De acordo com o spoiler que passei no post do Top 10, a temática do poema seria radioatividade e atmosferas cinzentas. Pois bem, os versos se chamam Radioactivity e surgiram quando eu não conseguia pensar em outra coisa além de cenários apocalípticos, cidades cobertas de névoa, sons de sirene e epidemias. Creepy.

Eu vou começar falando que todos os meus poemas carregam uma conexão visual muito forte, pq tenho o hábito de associar palavras e frases a cores, sons e imagens.

Por isso diria que Radioactivity é um conjunto de versos em sua maioria cinzentos, como se vc estivesse no meio da neblina espessa, mas com alguns toques de cores vibrantes, em especial verde, vermelho e púrpura, em forma de vultos e reflexos, sangramentos e vazamentos de compostos radioativos. Também possui uma variedade perturbadora de tons de preto e marrom, com sugestões de um anoitecer repentino, silhuetas vagamente humanas e máscaras de gás que se aproximam. Aliás, eu não sei o que vcs acham disso, mas eu tenho uma saudável fixação por máscaras de gás. Elas têm uma razão assustadora, porém essencial, pra existir, o que as torna objetos mais que atraentes.

Também, na época eu fiquei com a música Radio-Activity do Kraftwerk na cabeça. Em comparação com a maioria dos trabalhos do grupo alemão, que seguem a linha mais inorgânica e menos passional possível (são os pais da música eletrônica, lembram?), essa música tem uma doçura e uma melancolia que eu não esperava encontrar em nada que viesse deles. Mesmo não conhecendo metade da discografia (que é enorme), Radio-Activity, que faz parte do disco de mesmo nome, é diferente de todas as outras músicas, por conta dessa energia subjetiva mesclada a uma letra que fala sobre radioatividade e faz referência a Marie Curie, que entre outras coisas descobriu o elemento químico rádio.

Por conta disso, esse poema surgiu pra mim como uma mistura de cenários violentos e jumpscares com suavidade e discrição. Os ruídos e suas fontes invisíveis, como sinais de alarme, bem como figuras fantasmagóricas, preenchendo o primeiro elemento, e a tensão, junto com a radioatividade, espalhando-se pelo ar, infiltrando-se em cada brecha, sendo inalada e tornando-se parte inseparável dos nossos órgãos internos - e de nosso espírito - representando o segundo.


Capa do disco Radio-Activity (1975). O nome não é só uma referência química, mas também sugere a expansão das ondas de rádio, um símbolo de alcance tecnológico

O poema não era pra fazer parte da coleção Noisy que eu havia planejado, mas por ser curtinho e pela temática, acho que combinaria com o restante do projeto.

Radioactivity

Death fills the air
The city’s swallowed
By grey matter
Heavy nebula
Spreads around
Close to the floor
Bells and phone calls
A scream cuts the fog
Black silhouettes
Scratch the
Infected atmosphere
I nourish myself
With the melting poison
A gas mask approaches
Kisses me hard
I choke and fall
Sleep… sleep…
Sleep…

Abaixo tem a versão visual de Radioactivity. Um vídeo muito curto que criei em novembro e passou por milhares de edições até que eu achasse que era um material decente pra publicar mas, enfim, vejam:




A verdade é que eu achei ele um tanto parado, e fiz inúmeros ajustes pra tentar deixar tudo mais movimentado, acelerado, bem como trazer mais cores, pq só a fumaça cinzenta tava deixando o resultado final tedioso, e eu tinha a sensação de que a conclusão não tava compensando o suspense do começo...

E esse é o post urban conceitual de hoje! Foi um pouco difícil publicar esse vídeo, já que é o primeiro do canal, e também foi complicado explicar o conceito dele e do poema, pq eu não tenho a menor ideia de quantas das pessoas que passam por aqui gostam desse tipo de coisa, e também pq nunca tenho certeza de que consigo expor conceitos e ideias de modo claro. De qualquer forma, espero muito que vcs tenham gostado (e se não gostaram, não tem problema, eu gostei u.u) e me digam se curtem esse tipo de edição, se já fizeram ou viram algo parecido, pq eu quero muito saber!

Um beijo e até o próximo post! =)


Fonte da imagem: We Heart It

Comentários

  1. UAU...eu adorei!
    As vezes a gente não se sente seguro para expressar algo, até pensamos que nossas ideias são meio loucas. Mas eu entendi tudo o que você quis passar. Não fiz e também ainda não vi nada parecido assim na blogosfera. A edição ficou ótima e deixei meu like lá! Parece aqueles teaser de filmes. :)

    Siga em frente com essa ideia.

    Um beijo!

    http://www.chaparaexpectativa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estephane, muito obrigada pelas palavras! <3 Sabe, eu tinha pensado umas 1000 vezes antes de trazer essa ideia pra cá, e quando o fiz, fiquei tão satisfeita, mas um pouco receosa quanto a como o público ia receber.Só que no fim deu tudo certo! haha É uma pena que ainda não tenha um número suficiente de pessoas fazendo trabalhos do tipo pra formar uma pequena comunidade e trocar ideias sobre edição e tudo mais, mas quem sabe com o tempo não aparece, né? Acho que a trilha foi que deixou com esse ar de teaser de filme hahahaha
      Obg pelo like e por ter entendido o conceito!
      Um beijo!

      Excluir
  2. Hello! Olha vejo que realmente fez (sim! Eu vi você discutindo a ideia em um grupo no face U.U). Muito bom! Gostei da edição, e de acordo com sua explicação ali em cima, passou bem a ideia que gostaria de transmitir, porém achei que poderia ter uma musiquinha para trazer mais da atmosfera. Não sei se é o fato de eu já estar acostumada com barulhos demais, porém uma música seria ideal para nos transportar a atmosfera do poema. No mais eu gostei. Está de parabéns e continue assim que poderá melhorar mais.

    Até mais!
    Karolini Barbara
    womenrocker.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello Barbara! Parece que a discussão teve grande alcance hahahaha De qualquer forma, fico contente que o conceito tanto do poema quanto do vídeo tenham ficado claros (tinha tanto medo que não, mas agora estou tranquila quanto a isso). Na verdade, o vídeo tem uma música, só que não lembro o nome (se vc abrir no Youtube vai aparecer na descrição), mas se vc se refere a algo tipo uma trilha sonora, é uma boa ideia. Quem sabe não rende outro post? haha
      Quem bom que gostou!
      Um beijo!!

      Excluir
  3. Eu gostei muito da ideia, ia gostar bastante se vc continuasse com os videos, e quizá um dia expor teu rostinho lindu também :D
    Também tenho tido muitos pesadelos com fim do mundo que tem virado post, mas flopparam. Faz parte huehuehue
    www.rumorandhorror.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eu planejo continuar com eles sim, Lina, mas nem sonho em botar minha cara neles hahahahaha Ultimamente não tenho tido pesadelos, só sonhos estranhos que me deixam meio nostálgica, vai entender né .-. Mas seria legal se vc postasse sobre teus sonhos, eu ia amar ler!
      Um beijo!

      Excluir

Postar um comentário

Essa é a box de comentários do A L L M I N E !

Allons-Y pra quem tem algo legal pra falar e não quer saber de disqus ou verificação de palavras! A box é do próprio Blogger, mas tá liberada pra todo mundo! Também, quem leu com atenção e tem alguma ressalva, elogio, experiência bacana pra contar e qualquer outra coisa que acrescente ao assunto do post ou tem alguma dúvida sobre o que foi falado, pois eu modero e respondo todos os comentários. Pra saber quando seu comentário foi aprovado, marque a opção “Notifique-me”!

Agora, Bye Bye Beautiful pra vc que só aparece pra jogar link e sair correndo, vem spamar, sai por aí carimbando “Amei!” e “Adorei!” mas não diz nada que acrescente ao post, é a (o) louca (o) do “Segui, segue de volta?” ou é troll e vem aqui ofender, vomitar preconceitos e perturbar os outros leitores com suas artes malignas. Volte para a sombra!

Leram essa semana