T A G: Meu estilo, seu estilo


Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

De acordo com o que eu disse no post passado sobre organização, andei revendo a programação de assuntos do blog e seus respectivos dias de semana e decidi que preciso me sentar com meu caderno e fazer umas mudanças pra ontem. E como ainda não fiz isso, o post de hoje vai ser meio fora de época: eu achei a TAG Meu Estilo, Seu Estilo e resolvi trazer ela pra cá, pq eu só falo sobre moda aqui com posts em forma de reflexão ou pesquisa, e nunca falei sobre o meu estilo pessoal. Primeiro pq quando eu me deparo com assuntos do tipo, a primeira coisa que me vem à cabeça é “E quem quer saber?”. Segundo, pq eu não achava que o meu jeito de vestir fosse excepcional a ponto de merecer um post completo. Só que aí cheguei à conclusão de que apesar de ser uma bobagem, é mais um jeito de aproximar blogger e leitores. Quem sabe a gente não compartilhe o amor pelas mesmas brusinhas?

Então bora pra TAG.


1 - Como vc define o seu estilo?

Eu não defino o meu estilo, vamo começar daí haha

Como uma perfeita cria da geração Y que recusa o rótulo de hipster e se autoproclama alternativa, eu não sou adepta de um único estilo ou subcultura. Eu gosto de tudo o que foge do convencional, desde coisas fofas como os japoneses lolita e mori a outras bem opostas, como gótico, grunge, folk... Apesar de o meu guarda roupa ser abarrotado de roupa preta e de outros tons escuros, eu posso dizer que tem um pouco de tudo, tem cor neutra, tecido colorido, liso, estampado, jeans, renda, floral, xadrez...

Eu gosto de pensar que em vez de comprar eu saio caçando, ou garimpando peças, pelas lojas, pq como no nosso país é complicado loja de estilos específicos, a gente pena pra achar o que quer. Eu tenho um método bem previsível pra comprar, até: eu procuro por tipo de loja (se é pra festa, boutique, departamento, etc.) e quando entro, passo uma olhada rápida nas paletas de cores e araras. Não fico olhando cada cantinho pq quando vou comprar, já sei mais ou menos o que eu quero, então quando vejo uma peça parecida com aquilo que eu tava procurando, já me agarro nela e vou pro caixa. Quando acho nada, saio da loja na mesma hora.

O modo como eu vou me vestir num determinado dia, bem como a escolha das cores, vai depender muito do meu humor, também. Por exemplo, se hoje eu sinto que tenho que usar alguma coisa verde, só vou me sentir bem se tiver com a bendita roupa verde.


2 - Estampado ou liso?

Os dois! Pq que é que eu tenho que escolher entre um e outro? Meça essas dualidades aí, parça.


3 - Salto alto ou pé no chão?

Eu usava salto quando era mais nova e morava no litoral, que só tem terreno plano, então a minha disposição e a facilidade geográfica eram uma mão na roda pra eu andar nas alturas haha Mas agora que eu tô no interior e as ruas são nada mais que ladeiras cobertas de asfalto eu não tenho a mínima paciência nem a vontade de botar um saltão e sair por aí. No dia a dia eu tô sempre de tênis ou de sapatilha, dependendo da ocasião e do lugar, e recentemente adquiri um Oxford que já tava namorando faz tempo. Em casa, fico de chinelo, e quando tá frio, só de meia.

Que moça feliz eu seria se pudesse voltar a usar salto com toda a segurança do mundo...

4 - Seu estilo mudou com o tempo?

Olha só, essa devia ser uma pergunta retórica pra qualquer pessoa, mas especialmente pra quem sempre teve uma queda pelo lado ~alternativo~ da força, sabe? O meu estilo é um organismo mutante, nunca é a mesma coisa dois dias seguidos. Mas se vc quiser uma linha do tempo, foi mais ou menos isso que aconteceu no meu caso:

- No começo da adolescência, eu usava muita roupa colorida, não necessariamente pra chamar atenção, mas pq eu de alguma forma achava que era o que qualquer adolescente devia querer usar. Eu era tão desligada nesse negócio de estilo próprio que nem tenho muito o que falar daquela época.

- Por volta dos 13, 14 anos, eu comecei a me interessar pelo rock. Foi meu primeiro contato com o mundo alternativo, assim como foi com muita gente do mesmo período. Naquela época, quando o planeta inteiro parecia ser emo, eu continuava me rotulando simplesmente como rocker. Como eu já não era de muito de sair e só ia pra escola pq não tinha jeito, usava muito jeans e camiseta preta, coisa bem básica, e a maquiagem dos olhos bem carregada, diferente do que eu uso hoje. no começo usava tênis comum, mas depois passei a usar Converse, e nunca mais quis saber de nenhum outro tênis. O meu preferido de todos era um todo preto de cano médio que eu usava com saia, calça e qualquer outra coisa possível. Nessa época eu ainda não usava batom na escola.

- Nos 15, 16 anos, tive minha paixão por aquela polêmica vertente do metal odiada por góticos tradicionais que vcs devem conhecer como gothic ou symphonic metal, e por conta disso usava quase exclusivamente a cor preta, pouquíssimas vezes misturada com vermelho, branco ou alguma outra coisa. Achava o máximo o visual da Sharon do Within Temptation e da Tarja ainda no Nightwish, mas acho que eu queria mesmo era ser uma segunda Amy Lee, sabe? hahaha Eu amava saias rodadas na altura do joelho (uso até hoje), meia preta e renda, e na falta de encontrar batom preto nas lojas comuns de maquiagem (pq eu não tinha grana pra fazer compras on line), usava marrom e roxo num tom ameixa bem forte, daqueles que no mainstream era considerado adequado pra pele parda/negra. Mas lembro que cheguei a usar batom laranja, ou vermelho coral, antes desses dois.

Eu lembro que na primeira vez que me deparei com essa foto da Amy, pensei que era o ápice da originalidade. Na verdade, até hoje acho que é.


- A partir dos 17, eu ainda usava muito preto (até hoje, pra ser honesta), mas comecei a cansar de seguir só a linha do symphonic. Eu comecei me sentir limitada, pq por mais natural que eu tentasse tornar meu estilo, adaptar às minhas circunstâncias, eu percebi que ele já não supria todas as minhas necessidades de expressão. Algumas mudanças em questão de gosto musical coincidiram com isso, também, pq foi nessa época que comecei a dar mais atenção a estilos que fugiam da linha rock/metal, e com isso outras cores e estampas invadiram meu guarda roupa.

Foi muito estranho perceber e aceitar essa transformação depois de tantos anos usando só roupa escura e make carregada, mas também foi muito libertador e positivo, pq eu cheguei num ponto exaustivo do meu estilo anterior: parecia que não tinha mais nada ali pra ser explorado, então eu caí numa certa redundância e por isso era como se de alguma forma eu sempre tivesse que me encaixar naquele padrão, e eu comecei a ficar de saco cheio disso, tendo em vista que a ideia de ser diferente é não se encaixar.

Também, aos poucos fui aprendendo a usar o delineador do jeito certo (até hoje tô aprendendo hahaha) e troquei o batom roxo e o marrom pelo vermelho. Chegava a misturar esses dois últimos algumas vezes e o resultado era muito legal! Pra falar a verdade, eu ainda tenho batom marrom, mas num tom mais suave que o que eu tinha antes, e um roxo da Avon, mas eu não curto muito ele pq a textura é ruim e por isso a cor não fica uniforme, assim só uso de vez em quando (uau, minha primeira resenha de cosmético u.u). E até hoje sou esse mutante, essa Sra. Frankenstein haha


5 - O que vc não vive sem?

Batom vermelho! hahaha E claro, meias e blusas de manga comprida, pq eu me sinto pelada usando menos de três peças ao mesmo tempo. Também, desde que eu morava na praia, simplesmente não consigo sair na rua de chinelo: não importa se é inverno ou verão, vcs sempre vão me ver de sapato fechado.


6 - Um look que vc adoraria usar, mas que não se sente preparada.

Vestidos compridos, tipo os da Florence Welch. São lindos, é claro, mas a Florence é super magra e tem mais de 1,70, enquanto eu não sou tão ~esbelta~ quanto fui há uns anos e tenho uns 10 a 15 cm de altura a menos que ela. Então não uso por não ter muita certeza do caimento. Quem sabe um dia.


7 - O que vc mais compra de roupa?

Vestidos, especialmente na altura do joelho. Saias também, mas um pouco mais curtas que isso. E blusas básicas de cor escura ou com alguma estampa boba pra combinar com as peças diferenciadas que eu já tenho em casa. E é claro, meias. Nunca se esqueça das meias.

Algum dia, numa primavera qualquer, vcs me verão usando isso aqui no supermercado


8 - Em que famosa ou estilo vc se inspira?

Que perguntinha estranha, hein? Hoje em dia, eu não considero ninguém em particular como meu 'ícone de estilo', e acho esse termo ridículo. Mas como disse antes, tem uma penca de coisa que acho legal por aí: rocker, gótico, grunge, retro, nerd, folk (boho), básico e coisas caricaturais como os figurinos nos filmes do Tim Burton. E outros. Eu ainda curto muito as roupas da Amy Lee, e acho o closet da Florence a coisa mais fantástica em questão de estilo. Tem também o jeito rocker básico da Katie Cruthfield do Waxahatchee, que acho ótimo por ser diferenciado e totalmente usável no dia a dia. E pra quem pensa que eu não fico de olho em blogueira de moda, tem a Luanna Perez, que acompanho há um tempo e tem cada roupa que ceis não tem ideia, e aquele cabelo vermelho que nem dá pra comentar! Recentemente, consegui chegar mais perto do tom vermelho que sonhava em ter, então dá pra entender o quanto cabelo vermelho significa pra mim *-*


9 - Uma loja que vc teria tudo de lá de dentro.

Qualquer loja de Harajuku, brechó londrino ou que venda coisas com inspiração no rock. Eu tenho muito desse negócio sensorial, também, então se eu entro numa loja e sinto que a atmosfera me agrada, eu posso voltar lá sempre.


10 - O que vc mais gosta no estilo da sua amiga?

Quê??

E essa é a primeira TAG de estilo do blog ^^ Não posso de jeito nenhum dizer que foi a melhor TAG que já respondi, pq vcs devem ter percebido que algumas das perguntas foram bem sem noção estranhas, tipo essa última, mas a verdade é que eu andei pesquisando outras TAGs de moda por aí e essa foi a mais legalzinha que encontrei. Quem sabe um dia eu não crio a minha própria com umas perguntinhas mais ~substanciais~.

Um beijo e até o próximo post! =)




Comentários

  1. Adorei conhecer mais de você!
    Mas se tem uma coisa que sempre odiei nessa vida é esse tal de salto!
    Não nasci pra isso!!! :::P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salto é um negócio do capeta, né não? kkkkk foi-se meu tempo pra isso XD
      Um beijo!

      Excluir
  2. Eu mesmo não sendo tão alta (não sou alta) uso vestidos longos sem nenhum problema e os acho lindos. Também fui muito influenciada pelo symphonic metal mas hoje em dia como não sou fã mais de nada e de ninguém é difícil eu me prender a uma coisa só.
    www.rumorandhorror.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lina, eu queria muito ter essa autoconfiança, pq sempre que vejo um vestido longo numa loja alguma coisa impede minha mão de tirar o bendito da arara hahahaha E se prender a uma coisa só é algo que não faz bem, na minha opinião ^^
      Um beijo!

      Excluir

Postar um comentário

Essa é a box de comentários do A L L M I N E !

Allons-Y pra quem tem algo legal pra falar e não quer saber de disqus ou verificação de palavras! A box é do próprio Blogger, mas tá liberada pra todo mundo! Também, quem leu com atenção e tem alguma ressalva, elogio, experiência bacana pra contar e qualquer outra coisa que acrescente ao assunto do post ou tem alguma dúvida sobre o que foi falado, pois eu modero e respondo todos os comentários. Pra saber quando seu comentário foi aprovado, marque a opção “Notifique-me”!

Agora, Bye Bye Beautiful pra vc que só aparece pra jogar link e sair correndo, vem spamar, sai por aí carimbando “Amei!” e “Adorei!” mas não diz nada que acrescente ao post, é a (o) louca (o) do “Segui, segue de volta?” ou é troll e vem aqui ofender, vomitar preconceitos e perturbar os outros leitores com suas artes malignas. Volte para a sombra!

Leram essa semana