Random: Jekyll, Hyde, sonhos e paredes de concreto




Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

Eu nem sei bem qual seria o melhor jeito de começar esse post, pq ele é o mais sem sentido que eu fiz até agora (em 2016, que fique bem claro). Eu não terminei de escrever a minha programação pra agosto muito provavelmente pq ainda tô me sentindo afetada por ter visto meus planos pra julho serem cortados pela metade, mas vou fazer o melhor que eu posso pq quero mesmo que o próximo mês seja mais produtivo que os dois últimos (mesmo não tendo coragem nenhuma pra participar de projetos como o BEDA).

Antes de tudo: vcs viram o trailer da Liga da Justiça? Não? Então vão ver. E o da Mulher Maravilha? Também não? Pois vejam e depois voltem nesse post. Como não bastasse ainda teve o trailer de Kong: Skull Island com o Hiddleston, o Samuel L. Jackson e um King mais apavorante que qualquer coisa que eu pudesse ter visto nesse dia. Aliás, os diretores são os mesmos do último Godzilla, e eu acho que é por isso que o bicho ficou daquele jeito. Vão ver também e depois digam se eu tô exagerando.

Tá sendo um tiro atrás do outro esses trailers.





Segundo, ultimamente eu tenho sonhado mais do que o normal. 

Acontece que eu quase nunca lembro das coisas que eu sonho, e quando lembro nunca é do sonho todo, é só de uns fragmentos como se fosse um teaser de algum filme com 10 segundos. Pois uma noite dessas, eu sonhei que tava na entrada de uma floresta, um bosque, não sei direito, cheio de árvores velhas retorcidas e uma névoa que cobria quase tudo, mais ou menos como a foto do começo do post. Tinha uma árvore que parecia maior que as outras e que interceptava parte da entrada, mas não era impossível passar por ela. Eu lembro também que aquele lugar era uma passagem pra uma vila, ou algo do tipo, muito agradável de se visitar, mas que infelizmente não dava pra morar. Quem já tava por lá eram pessoas que “moravam ali desde sempre”. Negócio estranho, esse, mas todos os meus sonhos são estranhos, sem exceção. Eu quase nunca tenho pesadelos, mas também não posso dizer que todos os meus sonhos sejam bons. Eles são sempre uma mistura dos dois.

Aliás, eu tenho pra mim que as casas da vila do sonho eram mais ou menos assim:




Sobre o que eu andei assistindo: eu voltei a baixar séries, o que é mais seguro que ficar dependendo de internet instável, e atualmente tô numa vibe de clássicos, ou coisas de época, por isso tô que não me aguento pra terminar a season 1 de Jekyll and Hyde *-* 

Não conhece a série? Resuminho básico pra tu não ficar perdido: O Dr. Robert Jekyll, que é neto do Dr. Henry Jekyll (aquele mesmo do livro), foi criado na Índia sem saber nada do seu passado. Ele acredita que tem uns probleminhas hormonais que alteram terrivelmente seu comportamento quando ele passa por estresse (algo meio Hulk), por isso ele depende de pílulas especiais pra se controlar. Mais tarde, acontecem coisas que o obrigam a ir pra Londres, e lá ele fica sabendo que herdou a dupla personalidade do avô (o monstro que vira e meche dá as caras e faz a maior zona, mais conhecido como Sr. Hyde) e que não, ele não é o único ~monstro~ à solta pelo mundo.


Os pontos positivos: Os cenários e as paletas de cores, a mudança que ocorre quando o foco da história sai da Índia (tudo muito claro e ensolarado) e vai pra Londres (bem cinzento e sombrio), os figurinos e as interpretações, especialmente do ator principal, por conta das mudanças de voz e gestual quando ele passa de Jekyll pra Hyde e Hyde pra Jekyll, o que algumas vezes acontece muito rápido. As personagens femininas principais são todas interessantes, cada uma a seu modo, sem aquele estereótipo da donzela em apuros nem nada do tipo. Gosto assim u.u

Os pontos negativos: pra quem tá acostumado com filme e série de heróis cheios de efeitos especiais e cenas de luta hiper-realistas, pode ser que as cenas em que o Hyde aparece lutando sejam meio cansativas, ou até cômicas (pelo menos eu achei). Mas isso é bobagem, pq algo que eu percebi e que achei ridículo (sério, é ridículo mesmo) é que apesar do que eu falei sobre as mulheres, elas praticamente não têm contato umas com as outras. Assim, no momento, eu só lembro de uma conversa entre duas delas, depois não vi mais nada. Ô, roteirista, ajeita isso aí que tá feio, hein?


Esse é o Hyde (e sim, eu virei aloka do GIFs)


Outra notícia triste a respeito é que a série foi cancelada, então o negócio é se contentar com uma só temporada de 10 eps. Mas de qualquer forma, não rejeitem a série logo de cara pq a história é boa, sim.

E sobre música, tem alguma coisa pra falar? Claro que tem. Sempre tem! 

Primeiro de tudo: enfim, deixei de ser preguiçosa e assisti o clipe de Innocence, da Tarja, e God, o que é aquilo?? A introdução da música com o piano é algo que não dá pra explicar, e o desenvolvimento então, menos ainda! A história como um todo é sobre abuso doméstico e o efeito devastador que pode ter na vida de uma criança, e só por esse motivo vcs podem entender que é um trabalho que vale a pena ser visto. Agora não façam como eu e corram lá no Youtube pra ver!

Segundo: ontem mesmo ouvi pela primeira vez Concrete, uma das músicas novas do Crystal Castles. Ela é bem ruidosa e enérgica, e pelo menos pra mim tem a mesma vibe de Baptism. Antes mesmo de ouvir, essa música já me chamou a atenção pelo nome, pq a primeira coisa que me veio à cabeça foi Concrete Walls, que é a minha preferida da Fever Ray, meu último vício musical.

Eu não tenho ideia de quando o primeiro disco com a Edith Frances no vocal vai ser lançado (até parece que querem jogar pra 2017 afff), mas parece que eles optaram pelo formato conta-gotas pq é um single atrás do outro (nem sei quantos já foram). Mas essa música se não me engano nem é a última: acho que Char é a mais recente, e eu gostei muito dela. Essa já tem uma aura mais melancólica, e os vocais são doces mesmo sintetizados. Se vc prefere as músicas mais melodiosas do CC como Celestica e Kerosene é provável que curta mais ela do que Concrete.


Ah, sim, e essa é a Edith


E por aqui eu me despeço, caso contrário vou escrever até a meia noite e deixar o post impossível de ler num dia só.


Um beijo e até o próximo! =)


Image Map

Comentários

  1. Menina, duas coisas me levaram a ler esse post, a Mulher Maravilha e a foto da casa e vou te falar eu também não lembro dos meus sonhos, raramente lembro e quando lembro também são fragmentos e com coisas nada a ver!
    Eu não vi o trailer da Mulher Maravilha e nem o da Liga da Justiça mas já vou correndo no YT conferir, essa série não conheço mas a música da Tarja conheço. rs

    Beijos

    http://www.senhoritamarmelada.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Mulher Maravilha dispensa comentários, né? *-* E com os sonhos, é sempre essa coisa louca, não? Algumas pessoas conseguem lembrar de detalhes e de sequências, não sei como elas conseguem! haha Vê lá os trailers que tá um melhor que o outro! A série é ótima, e a música da Tarja mais ainda! Um beijo!

      Excluir

Postar um comentário

Essa é a box de comentários do A L L M I N E !

Allons-Y pra quem tem algo legal pra falar e não quer saber de disqus ou verificação de palavras! A box é do próprio Blogger, mas tá liberada pra todo mundo! Também, quem leu com atenção e tem alguma ressalva, elogio, experiência bacana pra contar e qualquer outra coisa que acrescente ao assunto do post ou tem alguma dúvida sobre o que foi falado, pois eu modero e respondo todos os comentários. Pra saber quando seu comentário foi aprovado, marque a opção “Notifique-me”!

Agora, Bye Bye Beautiful pra vc que só aparece pra jogar link e sair correndo, vem spamar, sai por aí carimbando “Amei!” e “Adorei!” mas não diz nada que acrescente ao post, é a (o) louca (o) do “Segui, segue de volta?” ou é troll e vem aqui ofender, vomitar preconceitos e perturbar os outros leitores com suas artes malignas. Volte para a sombra!

Leram essa semana