Blogagem coletiva: If I get a little prettier




*Gods and Monsters tocando em algum lugar*


Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

Enfim, a BC da Liga está entre nós \o/ E o tema que eu escolhi é beleza...

Acho que nunca falei sobre esse assunto aqui, até pq ainda não tinha aparecido uma chance pra fazer isso de uma forma interessante (pra mim, pelo menos). Antes de escolher esse título aí com verso da Lana del Rey, pensei em chamar o post de “Beleza acontece”, mas no final mudei de ideia.

Só que eu realmente acredito que a beleza acontece.

Hoje os cientistas fazem um cálculo específico pra medir a beleza de um rosto humano, mas eles não são capazes de explicar pq raios eu acho fulano atraente e vc não. Tudo o que existe sobre isso são possibilidades, nada muito concreto. Aparentemente, as experiências pessoais têm peso na nossa escolha quanto à beleza, mas essa é só uma hipótese.

Nós somos profundamente afetados por aquilo que vemos, também. Daí surgiu aquilo que a gente chama de indústria da beleza. É maquiagem, é plástica, é roupa especial. É tanta parafernália que nem dá pra catalogar (sério, já entrei em loja de cosméticos e encontrei uns produtos que nem sabia pra que servia). E as propagandas vêm todas cheias de promessa: faça isso, use aquilo. Que assim vc vai entrar no padrão. Vc vai estar na moda. Insatisfação consigo mesma vai ser coisa do passado.

Olha, é preciso ter o coração forte pra aguentar tanta baboseira.

Senão, vem os contratempos, os gastos exorbitantes (seguidos pelas dívidas) e uma penca de outros problemas: a reação alérgica ao produto, a cirurgia que dá errado, o cansaço, a ansiedade, a vergonha, o pensamento autodestrutivo, a depressão, a anorexia...

Só que beleza não é um negócio simplista. Por isso padronizar, reduzir e mutilar por vaidade não faz o menor sentido.




Se eu ficar um pouco mais bonita, posso ser sua queridinha?


Felizmente os humanos são mutantes ideológicos. Por isso não é de surpreender que ao longo da História, o conceito de belo tenha sofrido mudanças significativas, seja em muito ou pouco tempo, e sem qualquer compromisso com linearidade (vc já reparou que algumas tendências vão e voltam, e que em todas as épocas houve padrões que coexistiram?).

O segredo da coisa toda tá na adaptação.

É claro que não é fácil ver as coisas por outro ângulo quando vc passa a vida inteira ouvindo que tem de ser desse ou daquele jeito pra ser vista como bonita, pra ser aceita. Muita coisa que a gente vê e ouve quando é jovem (com a personalidade ainda em formação) fica conosco pro resto da vida.

Mas a reeducação é possível. Comece, por exemplo, tirando o olho do PC, do celular, da TV e das páginas das revistas e olhe em volta. Preste atenção nas pessoas. Nas pessoas de verdade: seus pais, seus vizinhos, seus colegas de trabalho ou de escola. Eles não são modelo de perfeição pra ninguém (ainda que alguns tentem ser). Eles não se parecem em nada como as pessoas das propagandas. Mas eles continuam aí, vivendo suas vidas. E vc precisa fazer o mesmo.

Pq é isso o que os humanos fazem.






Então, esqueça essa bobagem de achar que a propaganda tá certa e que o problema é vc. Para de ouvir gente que só quer ganhar dinheiro em cima da tua insegurança. Não dá essa moral pra eles não.

Procure algo que te faça se sentir bonita. Esse algo pode estar em qualquer lugar além de uma foto manipulada.

Se gosta das blusas apertadas, use. Se não, deixa elas pra lá e veja como isso vai melhorar o seu dia. Pega teu próximo salário e compra aquele moletom do Capitão América que vc achou lindo na seção masculina (ou aquele de florzinha na ala feminina mesmo) e ande com ele por aí como se não houvesse amanhã. Mas vê se faz isso logo pq o inverno está chegando, seu Ned mandou avisar. Se gosta da progressiva, continue com ela. Mas se prefere os cachos ou as ondas, deixa a prancha de lado um pouquinho, dá uma folga pro teu cabelo. E pelo amor de Deus, para de fugir daquele brigadeiro de panela achando que corte de açúcar ajuda a entrar em forma.

Mulher, para de achar que a Vogue tem razão em tudo. Vogue, cut the crap. Um pouco de felicidade + autenticidade deixa qualquer pessoa mais bonita.


Um beijo e até o próximo post! =)




Comentários

  1. Adorei, só li verdades!
    Já sofri muito tentando me "adequar" aos padrões e não ser a nerd esquisitona, mas hoje vejo o quanto isso é bobagem! Cada um é o que é e ponto!
    Concordo contigo em tudo isso!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, eu também era meio nerd, meio alternativa, então nunca fui o que chamam de "normal"! antes eu sofria com isso, mas agr que sou adulta tô numa fase fuck off, não quero mais perder o sono pq não sou desse ou daquele jeito, sabe?
      Um beijo!

      Excluir
  2. Oi flor! Preciso te dizer que amei o teu texto, eu concordo super, beleza é complexa demais pra padronizar! Sério mesmo, até esse negócio de feed arrumadinho, eu respeito e admiro mas prefiro a espontaneidade e cor!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Jeh! Beleza não é uma coisa tão simples quanto querem nos fazer crer! Sem contar que ela anda de mãos dadas com a espontaneidade, viu? Então, ela é um negócio imprevisível!
      Um beijo!

      Excluir
  3. É verdade, tem muita gente que fica tão preocupada em seguir uma regra, que esquece de ser autêntica, ser feliz consigo mesma, e passa a vida correndo atrás de uma coisa que não pode (nem deveria) ser. Mas às vezes, a mídia, deixa isso tão imposto, que acaba influenciando...
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, a imposição é tão cruel, tão constante, que as pessoas mal têm tempo de pensar sobre isso! E acabem perdendo tempo, saúde e dinheiro procurando a felicidade no lugar errado, o que´e bem triste!
      Um beijo!

      Excluir
  4. Meu! Que arraso de post!
    Concordo em gênero número e grau!!! É quase uma filosofia de vida pra mim! Muito briguei com minha mãe por causa do meu jeito de vestir, ou porque eu engordei ou porque eu emagreci ou porque eu engravidei... sempre bati o pé pra ser quem eu sou. Já tentei mudar pra agradar os outros (ela no caso) e me senti infeliz e incompleta.
    Hoje sou adulta, despojada/desleixada mãe de três pecinhas lindas e feliz com o corpo, a cara e o estilo que tenho. Nada no padrão! Hahahaha
    Parabéns pelo post.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que quando a pressão vem da família, tudo fica mais complicado, não é, Taís? Às vezes eles mesmos não percebem o quanto isso é prejudicial e nem fazem com má intenção, mas o efeito ruim a gente sente por muito tempo! O negócio é mesmo desapegar, olhar pro espelho e falar pra si mesma que é linda e poderosa u.u Focar nas pessoas reais, naquelas que te querem bem! Elas vão te deixar feliz e te fazerem mais bonita do que vc já é!
      Um beijo!

      Excluir
  5. Que texto mais incrível!
    Acredita que ainda HOJE fiz uma redação com um tema parecido; falava sobre a valorização da imaginem pessoal perante as outras pessoas! Um pequeno arrependimento por não ter visto seu post antes de fazê-la :v ele é uma grande inspiração ❤️
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Luh, queria ter ajudado mais cedo </3 Mas esse tema da sua redação é muito bom pq parece que o assunto é inesgotável! Tenho certeza que vc fez um ótimo trabalho!
      Um beijo!

      Excluir
  6. Nossa, ótimo tapa na cara da sociedade! ;)
    Adorei o seu post, e a autenticidade com a qual você escreve.
    Vamos nos valorizar mais, do nosso jeitinho. Se queremos mudança, que seja porque NÓS queremos. E não uma propaganda de TV nos dizendo o que fazer!

    www.plataformaviajante.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Malu, às vezes uns tabefes fazem falta nessa tal de sociedade hahaha E a verdade é que ninguém muda (digo, mudar DE VERDADE) por outra pessoa ou por uma imposição social. As mudanças genuínas só acontecem quando nós queremos, e se é pra mudar que seja pra melhor! Fico feliz que vc tenha gostado!
      Um beijo!

      Excluir
  7. Ai nossa, amei essa postagem. Sério, foi uma das melhores que li essa semana. Quando eu era mais nova, não me aceitava de jeito nenhum, queria a todo custo parecer com fulana e sicrana mas de jeito nenhum queria ser eu. Precisei pegar um tapa na cara pra ver que "sim, eu sou linda!" do meu jeito. Hoje tento passar para minhas primas, que estão indo por esse caminho, que elas devem se aceitar, pois cada uma é linda do seu jeito.

    http://www.episodiodehoje.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberta, qd eu tinha uns 12, 13 anos passei por uma fase assim, de querer parecer com outra pessoa e não gostar de jeito nenhum daquilo que eu via qd olhava no espelho. Mas hj em dia tô em bons termos com o espelho (só não com as câmeras hahaha). E é muito importante o que vc tá fazendo pelas suas primas, pq as pessoas (especialmente as do sexo feminino) são afetadas pelas imposições midiáticas cada vez mais cedo, e isso é muito sério.
      Um beijo!

      Excluir
  8. Seu post me lembrou uma frase da Audrey Hepburn: "Happy girls are the prettiest!" Eu, particularmente, sou muito afetada por conta da indústria, eu tenho plena consciência de que não preciso ter o corpo perfeito, basta ter saúde e ser feliz. Mas eu estou numa luta contra a balança desde os 15 anos, por causa disso, porque "a magra é sempre mais cobiçada, mais feliz e principalmente, mais bonita", coisas que a indústria impõe...

    Peixinhos, Gabbe!
    Blog: Talo de Maçã ♥ |Fanpage ♥ |Instagram ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabbe, e ela tava certíssima, pq pessoas felizes são mesmo as mais bonitas! nos últimos dois, três anos, ganhei um pouco mais de peso e isso tem me incomodado, sabe?
      Mas vc tá cuidando da saúde, não tá? Pq tipo, a gente tem que ter alguma carne, dona Amy Lee disse uma vez!
      Um beijo!

      Excluir
  9. Olá Deborah, tudo bem?
    Só li verdades em seu texto. Atualmente a mídia tenta encher a cabeça das pessoas - sobretudo mulheres - a usarem tal produto pra perder peso, comprar tal creme pra rejuvenescer a pele, comprar tal aparelho pra fazer ginástica e perder as gordurinhas localizadas... Chega a cansar! Acredito que todo mundo tem o direito de querer se sentir bonito e bem consigo mesmo, mas poxa... Precisa seguir padrões? Ou fazer coisas mirabolantes só porque o produto faz "milagre"? O melhor meio para que isso aconteça é se aceitar do jeitinho que é. Deixar de dar ouvidos para quem acha que o melhor é você mudar para se encaixar num grupo também ajuda muito. Já tive experiências infelizes de deixar minha identidade de lado para agradar gente que, hoje em dia, nem deve saber que existo.
    Parabéns pelo texto!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Gaby, tem Renew Clinical até pra pele de gente com 25 anos, vê se pode? =O Mas uma boa razão pra não aceitar esses padrões, como vc disse, é que amanhã as pessoas nem vão se importar, pq as coisas mudam muito rápido. Então, não dá pra ficar correndo desesperadamente atrás de algo que não vai durar, isso não traz felicidade a ninguém!
      Um beijo!

      Excluir
  10. Que arrasoooooooooo! Adorei as tuas ideias e concordo muito :)
    É muito difícil se desprender das ideias que a sociedade tenta nos impor sobre beleza. Mas eu amoooo uma frase que diz: comece uma revolução, ame a si mesma. Porque acredito muito nisso! Quando abrimos olhos e enxergamos além da Vogue, nossa vida muda <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Luana! Numa sociedade em que as pessoas são "criadas" pra se sentirem insatisfeitas com seu próprio eu, amar a si mesmo é um ato revolucionário! A vida não está nas páginas da Vogue, está lá fora! Que bom que vc curtiu *-*
      Um beijo!

      Excluir
  11. Muito legal a reflexão (e adorei a relação com a música da Lana, que amo).
    Acho que autoaceitação é uma das belezas mais verdadeiras e que mais trazem realização pessoal :)
    bom final de semana!

    Red Behavior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lana e rainha, né? *-* Certamente autoaceitação é um dos passos pra felicidade, como também da paz mental e da saúde!
      Bom fds pra tu também! Um beijo!

      Excluir
  12. O conceito de beleza é relativo, não tem pra quê tanto foco nisso, mas a sociedade é um pouco doente. Reparar nos "defeitos" dos outros é mais fácil do que reconhecer a beleza de cada um e respeitar cada um. Já sofri com pessoas que não gostam de mim e tentam me ofuscar comentando detalhes que para elas me fazem "fora do padrão", mas eu não ligo porque sei do meu valor e que tais coisas são superficiais e insignificantes ;). Ótimos conselhos no seu Post.
    Beijos!

    www.juhlihipy.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente o que eu acredito, Juliana! Beleza é relativa e até hj não se sabe muito bem a razão! Não dê atenção a quem não tem nada a lhe acrescentar! Continue não se incomodando e sedo feliz do seu jeito!
      um beijo!

      Excluir

Postar um comentário

Essa é a box de comentários do A L L M I N E !

Allons-Y pra quem tem algo legal pra falar e não quer saber de disqus ou verificação de palavras! A box é do próprio Blogger, mas tá liberada pra todo mundo! Também, quem leu com atenção e tem alguma ressalva, elogio, experiência bacana pra contar e qualquer outra coisa que acrescente ao assunto do post ou tem alguma dúvida sobre o que foi falado, pois eu modero e respondo todos os comentários. Pra saber quando seu comentário foi aprovado, marque a opção “Notifique-me”!

Agora, Bye Bye Beautiful pra vc que só aparece pra jogar link e sair correndo, vem spamar, sai por aí carimbando “Amei!” e “Adorei!” mas não diz nada que acrescente ao post, é a (o) louca (o) do “Segui, segue de volta?” ou é troll e vem aqui ofender, vomitar preconceitos e perturbar os outros leitores com suas artes malignas. Volte para a sombra!

Leram essa semana