Fim de 2015 e um ano de blog - Parte 2: Os melhores achados musicais




Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

E como eu havia dito no post anterior, na segunda parte da série falarei sobre o que encontrei de melhor em termos musicais =)

Lembrando que a lista é pessoal, por isso sempre vai parecer que está “faltando” alguma coisa. Alguns artistas já foram mencionados aqui no blog, então vou deixar os links dos posts, enquanto outros não apareceram por aqui ainda. Alguns talvez vcs conheçam, já outros são resultado das minhas andanças virtuais por lugares poucos explorados rs

Além disso, na barra lateral tem uma playlist com uma música de cada um desses artistas =)

*D E T A L H E: Na terceira parte da série falarei sobre a playlist na lateral*



Melanie Martinez – Crybaby

Eu já tinha falado sobre o EP Dollhouse aqui, e na ocasião ainda não tinha escutado o Crybaby inteiro, mas agora sim posso dizer que é um ótimo trabalho. Acho que o que mais gosto na Melanie é o fato de ela ir na direção contrária numa época em que as garotas fazem uso do sex appeal cada vez mais cedo, o que de certa forma as torna iguais. Assim, vc fica surpreso quando começa a ouvir o Crybaby, um disco com músicas pop cheias de sons de brinquedos e letras inspiradas em situações comuns na infância. A Melanie disse certa vez que seu disco é como um livro sobre crianças direcionado a adultos. Isso eu ainda não tinha visto, e é por isso que o álbum está aqui na lista.









Edgar Allan Poets – Wrong Direction

Eu já tinha ouvido falar deles antes, mas não sei por que razão (alguma muito boba, só pode) só vim escutar os Edgar Allan Poets esse ano =P A primeira coisa que despertou minha curiosidade, é claro, foi esse nome inspirado em um dos meus escritores preferidos, e quando peguei pra ouvir, a música não decepcionou. A proposta deles, aliás, é óbvia por causa disso: o mestre do terror norte-americano é a grande inspiração para as canções, que soam como um indie rock com toque dark e vocais agradáveis, quase sedutores. É o tipo de música que vc pode ouvir a semana inteira e não enjoar.







Halsey – Badlands

Eu ainda não consigo encontrar muita coisa pra falar sobre o disco da Halsey, além de que é uma das melhores surpresas que tive em 2015. Muita gente achou ruim ela ter feito uma parceria com o Justin Bieber, cantor mainstream, mas acho que é melhor ignorar esse tipo de coisa e prestar atenção ao trabalho solo dela. O Badlands é um disco pop não convencional (logo a primeira música, Castle, mostra isso com os corais). New Americana, que fala sobre a juventude moderna, me faz querer voltar a ser adolescente. Mas se me perguntassem, diria que a minha preferida é Strange Love.







 Black Marble – A Different Arrangement

O Black Marble também já apareceu por aqui, mas vale falar deles outra vez. A música incomum, cheia de ruídos, misturada aos vocais graves e lentos pode agradar a quem gosta de música dos anos 80 como eu. Também: vejam o clipe de A Great Design, é uma coisa surreal que faz lembrar bastante essa década rs







SoKo – My Dreams Dictate My Reality

Acho uma pena não ter falado dela ainda aqui, mas gostei bastante do disco que a SoKo lançou esse ano. Embora o som dela não seja nada parecido com o do Black Marble, o My Dreams... também é um trabalho moderno que te leva a uma viagem sonora aos anos 80, e por isso mesmo foi que gostei dele. A música título, por exemplo, lembra um pouco Prayers for Rain do The Cure.







Superheaven – Ours is Chrome


Tenho até vergonha de dizer que não conhecia essa banda até encontrar esse disco numa lista (não me lembro bem aonde), mas de qualquer forma achei melhor não lamentar o tempo perdido e aproveitar o trabalho deles, porque é muito bom. É um daqueles discos que ficam melhores ainda quando vc o conhece enquanto tá passando pela vibe "certa”: na época que conheci, o que mais tocava nos meus fones eram canções de rock dos anos 90, especialmente Audioslave e Stone Temple Pilots, e embora o som do Superheaven seja mais confessional do que o desses grupos, pode agradar a quem é fã deles.






Dinosaur Bones – Shaky Dream

Esse álbum é de 2013, mas só vim escutar esse ano, e não me arrependo. A música do grupo canadense Dinosaur Bones é agradável, quase etérea, que me agradou bastante por lembrar o som do Warpaint. Aliás, essa capa de ar nostálgico foi a razão inicial de eu ter decidido ouvir o disco.







Sleepmakeswaves – Love of Carthography

Eu conheci o Sleepmakeswaves numa das minhas andanças pela Last FM, que é um lugar legal pra se conhecer música nova. Se não me engano, procurei por post rock, e o nome dessa banda chamou muito minha atenção. Eles fazem post rock instrumental, e a primeira música que ouvi chama-se Exits to Nowhere, que não faz parte desse álbum. Aliás, post rock não é o gênero mais indicado pra quem não está acostumado a ouvir músicas de cinco minutos ou mais, e esse disco está cheio delas. Mas nada como dar uma chance a coisas novas, certo? Fora que essa capa belíssima já dá uma ideia do que encontrar no álbum =)







Waxahatchee – Ivy Tripp

Depois dessa declaração de amor aqui, já não tenho muito que falar sobre esse e o próximo álbum da lista, mas eles simplesmente precisavam aparecer nela, pois de todos esses foram os mais reproduzidos em meu player. O Ivy Tripp, em especial, porque foi a inspiração para um pequeno romance que está em fase final de composição. A primeira música, Breathless, foi a responsável direta pelo nascimento da história, devido à sua sonoridade calma e peculiar e à letra a tratar de um relacionamento amoroso dum modo como ainda não havia visto em nenhum trabalho dos meus artistas preferidos. Vejam a letra aqui e entendam do que estou falando ;)







Lana Del Rey – Honeymoon

Assim como o Ivy Tripp, o último disco da Lana também me acompanhou ao longo da escrita. Com sua beleza e melancolia, ele tinha tudo o que eu precisava como inspiração e força pra continuar escrevendo, e posso dizer que se o Ivy foi o responsável pelo início da história, o Honeymoon foi o que possibilitou o término.






E essa é a segunda parte da série ^^

Espero que tenham gostado e seria muito bom se por acaso tenhamos alguma preferência musical em comum ^^


Um beijo e até a terceira e última parte! =)


P. S.: A SoKo é a única artista que não aparece na playlist porque infelizmente eu não encontrei o novo álbum disponível no Spotify, mas procurem no YouTube que o disco vale a pena.

Upgrade: Enquanto atualizava esse post, fui verificar e o disco ainda não está disponível na plataforma.



Comentários

  1. Mds você tem um gosto musical incrível!
    Você não sabe o quanto gosto de conhecer músicas boas.
    Seu blog é maravilhoso ♥

    Nayandra,
    www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nayandra! Que bom que gostou <3 Conhecer músicas novas é uma das coisas que mais amo tmb!
      tmb gostei do teu blog, parabéns!

      Excluir

Postar um comentário

Essa é a box de comentários do A L L M I N E !

Allons-Y pra quem tem algo legal pra falar e não quer saber de disqus ou verificação de palavras! A box é do próprio Blogger, mas tá liberada pra todo mundo! Também, quem leu com atenção e tem alguma ressalva, elogio, experiência bacana pra contar e qualquer outra coisa que acrescente ao assunto do post ou tem alguma dúvida sobre o que foi falado, pois eu modero e respondo todos os comentários. Pra saber quando seu comentário foi aprovado, marque a opção “Notifique-me”!

Agora, Bye Bye Beautiful pra vc que só aparece pra jogar link e sair correndo, vem spamar, sai por aí carimbando “Amei!” e “Adorei!” mas não diz nada que acrescente ao post, é a (o) louca (o) do “Segui, segue de volta?” ou é troll e vem aqui ofender, vomitar preconceitos e perturbar os outros leitores com suas artes malignas. Volte para a sombra!

Leram essa semana