Opinião: Conselho da minha irmã, objetivos e influência alheia


Oi, amigos, como estão? espero que estejam bem =)

Hoje tem post rápido de começo de mês e eu tô muito satisfeita com isso, pq diferente da outra semana, nessa ganhei alguns motivos pra escrever. Primeiro de tudo, minha irmã, durante uma conversa sobre profundidades (coisa comum aqui em casa hahaha) olhou pra gente e disse o seguinte: “As pessoas aqui acham que a gente tem de ter só uma prioridade na vida, mas não é bem assim. a gente tem que saber o que vem primeiro, e organizar o resto de acordo com isso.” Sério, aquilo salvou meu dia, porque me fez pensar sobre o modo como eu devo organizar minha própria vida, quais coisas têm de vir em primeiro lugar e quais eu posso deixar pra lá. Porque eu sempre tive pra mim que uma vida sem objetivo nenhum não é uma vida, é mera existência, e é muito triste tornar um de nossos maiores tesouros uma perda de tempo.

Também li aqui nesse post um texto muito bonito e inspirador, sobre a influência que as pessoas à nossa volta têm sobre nós e como lidar com isso. Sim, quando li esse texto, senti como se a autora me conhecesse. Eu mesma sempre busquei ter cuidado com o tipo de pessoa que se aproxima de mim e sempre gostei de ser cautelosa quanto a ouvir conselhos. é como a música Master Pretender, do First Aid Kit: "Sempre acreditei que fosse livre, que tivesse um senso de integridade que ultrapassasse qualquer coisa que tentasse me mudar", Sabe, não abro mão da autonomia, porque não acho que estamos para sermos marionetes de outras pessoas. Quando senti que isso estava começando a acontecer comigo, há um tempo, não tive dúvidas em perceber que era hora de ir embora, no entanto será que continuo com o mesmo nível de integridade? Esse questionamento levantado no texto me pensar sobre como estou vivendo hoje, e isso foi muito bom.

Também, não podia deixar isso de lado: o vídeo da Lady Gaga falando para os alunos da Universidade de Yale sobre depressão, ansiedade e o que a ajuda a combater a infelicidade. Sabe, eu não sou fã dela, mas fiquei sim surpresa em ouvir que ela passou por uma situação semelhante à minha quando ela diz “Não gosto de ser usada para enriquecer outras pessoas”. Talvez quem trabalhe me grandes empresas (como era o meu caso) possam se sentir assim de vez em quando, mas nem sempre há a possibilidade (ou a coragem, o que é mais grave) de dar uma basta naquilo, largar tudo sem olhar para trás, mas é bom lembrar que quando vc sabe que está vivenciando uma situação que não lhe faz bem, não fazer nada para amenizar o problema e ficar de braços cruzados esperando que as coisas se resolvam sozinhas não é a melhor opção.

Um beijo e até o próximo post! =)



Comentários

Leram essa semana