Random: Sobre o outono


Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

E enfim o Outono chegou. Essa é uma das minhas épocas favoritas do ano, e não precisa de muito pra explicar as razões: temperaturas amenas, ventos frescos, dias mais curtos e noites melhores para dormir. Acho que é o que todo mundo que curte a estação diria. Mas há motivos mais importantes para essa minha paixão pela estação das frutas.

Desde os tempos antigos, as pessoas consideram o fim do Verão como uma época estranha, pois se sentiam inseguras com o "afastamento" do Sol. E parece que até hoje um receio persiste. Muita gente vê essa estação como o tempo em que tudo enfraquece, desbota e por fim, desaparece.

Mas eu penso - e sinto - o contrário. Para mim, a renovação chega com a diminuição da luz. Quando as altas temperaturas e os dias longos do Verão ficam pra trás, começo a sentir meu corpo e minha mente voltarem à vida, como se dissessem "Finalmente, podemos respirar!", o ar se torna mais leve e existe toda uma energia em observar o modo como as sombras se alteram, já que a impressão da luz solar fica diferente. É como se depois de todo o barulho do Verão, eu pudesse finalmente descansar.

Aqui, numa terra tropical, a gente não tem aqueles cenários maravilhosos com folhas amarelas e vermelhas se soltando das árvores do hemisfério norte, mas isso não impede ninguém de notar que no Outono as coisas ficam diferentes. Talvez até mais belas.

Enfim, pra passar melhor ainda esses dias, deixo alguns versos que lembram o Outono de um jeito ou de outro, o primeiro da Florbela Espanca, essa portuguesa que dispensa apresentações, e por último um que fiz há um tempo.


Outonal
(Florbela Espanca)

Caem as folhas mortas sobre o lago;
Na penumbra outonal, não sei quem tece
As rendas do silêncio… Olha, anoitece!
- Brumas longínquas do País do Vago…

Veludos a ondear... Mistério mago...
Encantamento… A hora que não esquece,
A luz que a pouco e pouco desfalece,
Que lança em mim a bênção dum afago…

Outono dos crepúsculos dourados,
De púrpuras, damascos e brocados!
- Vestes a terra inteira de esplendor!

Outono das tardinhas silenciosas,
Das magníficas noites voluptuosas
Em que eu soluço a delirar de amor…


And Fire, and All the Things We See

Beauty is the brown marks on your skin
And this red beard, and these green eyes
You keep staring at the horizon
I’m on the next room and a storm is comin’
I can hear somewhere in this house
Jake Bugg’s song is playing on that old radio
Don’t forget, coffee is hot still
And the sound of a common day goes on
And fire, and all the things we see
You always look but never notice
As I keep thinking it’s obvious

A pipe that never met a mouth once
Beer and cheese and fresh apples on our table
But I’m not hungry for now
The leaves are falling in love with the wind
But it doesn’t give a fuck about them
Our windows are open to their party
Our wood floor is about to receive them
And we’re starving for the Winter’s cold breath
And fire, and all the things we see
You always look but never notice
As I keep believing
The reason of life is so obvious

E é isso, espero que tenham gostado e me contem se o outono também é a estação preferida de vcs.


Um beijo e até o próximo post! =)



Comentários

Leram essa semana