Resenha: Le Grand Meaulnes, o livro enevoado de Alain Fournier

Cena da adaptação de 2008


Oi, amigos, como estão? Espero que estejam bem =)

O post de hj é uma resenha de um livro que sou muito, mas muito grata por ter conhecido <3

Se eu tivesse de descrever o livro Le Grand Meaulnes (no Brasil O Bosque das Ilusões Perdidas) do escritor francês Alain Fournier em uma única palavra, seria “enevoado”. Enevoado como num sonho onde todas as imagens possuem uma tonalidade suave mas expressiva, e onde sucedem umas às outras com uma espantosa rapidez.

Publicado em 1939, o livro nos apresenta em menos de 200 páginas a história da juventude de Augustin Meaulnes sob o olhar atento de seu melhor amigo, François Seurel, a partir de sua chegada a um povoado na França do fim do século XIX, um fator decisivo para a transformação na visão de mundo do próprio Seurel.

No início, François nos dá um resumo sobre sua chegada ao povoado e algumas palavras sobre seus pais, logo em seguida passando para a chegada de Augustin, tão repentinamente que precisamos de um tempo para digerir o fato. A partir daí tudo é mudança na vida de François. O Grande Meaulnes, como passa a ser chamado, torna-se popular entre os meninos do lugar e é sua constante companhia nos jogos.

O “grande acontecimento” que dá um manto mais espesso de neblina e acrescenta um novo sabor fantástico à história é o sumiço de Augustin por três dias seguidos, e seu reaparecimento súbito na escola, com visível alteração em sua expressão e nos modos.

Eis a razão: durante uma viagem, Meaulnes escolhe acidentalmente a estrada errada e no fim descobre o que parecia ser uma mansão abandonada visitada por crianças desconhecidas. Como estava anoitecendo e a viagem o deixara cansado, Augustin decide entrar por uma das janelas para pernoitar ali. É aí que fica sabendo que há mais pessoas no casarão: os convidados de uma festa de casamento; e mesmo sem ser um convidado ele resolve ficar e participar. O surrealismo da festa está nas roupas antiquadas usadas pelos desconhecidos, seus modos estranhamente alegres, as conversas entrecortadas a respeito das manias do jovem noivo, as incomuns circunstâncias em que conhece a moça que será sua paixão romanesca até o término do livro e por fim o modo sombrio e agitado com que a festa se encerra sem a realização do casamento, a partida apressada dos convidados... e eis Augustin de volta à casa, à escola, à vida real. Mas a lembrança da festa o perseguirá por muito tempo.

E conforme o tempo passa, François nos revela acontecimentos que possuem ligação com o “sonho” de Meaulnes, acrescentando toques de realismo que completam a história fantasiosa do rapaz: pela primeira vez, os tons enevoados ganham a luminosidade de um raio de sol e os pontos obscuros são esclarecidos por meio dos relatos de diversas personagens. Os focos de vida real surgem aqui e ali, a despeito dos esforços do Grande Meaulnes em se agarrar à lembrança imaculada da aventura; e os fantasmas que protagonizaram seu sonho retornam como criaturas de carne e osso, moldando o destino do jovem.

François nos fala sobre outras idas e vindas sem aviso prévio de seu estranho amigo, de seu silêncio e de suas breves cartas, e por fim de sua última e repentina aparição como um esclarecimento final para os sumiços misteriosos, e uma despedida na qual temos a dolorosa certeza de que nunca mais o veremos novamente. A última imagem que temos é a de um Augustin de aparência envelhecida e exausta, diferente daquele que conhecemos no início, mas mesmo assim nos permitindo entrever a persona exaltada, romântica e selvagem que o guiou durante os anos da juventude e que, nas palavras de François Seurel, jamais deixaria de existir.

Le Grand Meaulnes é o único romance publicado por Fournier, que terminou sua vida da mesma maneira súbita e nebulosa de seu herói, mas sendo capaz de nos fazer sentir a vida se mover através da névoa naquelas poucas páginas. É preciso histórias assim para que entendamos a força e a grandeza que um único sonho pode ter.


Bom, esse é o post de hj, espero que tenham gostado tanto quanto eu gostei de conhecer essa história!


Um beijo e até o próximo post! =)


P. S.: Existe um filme de 2008 inspirado no livro. Ainda não assisti, mas talvez eu veja e fale dele num outro post.

Upgrade: Eu assisti o filme e achei muito bom! Ele está disponível no youtube, mas sem legendas =/ Eu precisei baixar e procurar, mas só achei legendas em inglês.




Comentários

Leram essa semana